segurança alimentar e ovos

Ovos e segurança alimentar: entenda como se relacionam!

Você sabe o que é segurança alimentar ou segurança de alimentos? No dia a dia — seja durante suas refeições, seja na fabricação de receitas — a qualidade, o armazenamento, e a manipulação de produtos, principalmente os de proteína animal, devem seguir algumas normas.

Quando falamos de ovos, o assunto ganha ainda mais importância, pois más práticas podem causar inúmeros problemas. A intoxicação alimentar por Salmonella é uma delas.

Se você consome ovos diariamente ou comercializa produtos à base deles, saiba que boas práticas de armazenamento são um importante fator para a saúde das pessoas e o sucesso dos negócios. É por meio delas que você garante a sua segurança, a da sua família e a dos eventuais consumidores que vierem a comprar os alimentos feitos por você.

Neste artigo, selecionamos informações importantes sobre o que é segurança alimentar, sua relação com o consumo de ovos, o que os principais órgãos reguladores dizem sobre a segurança de alimentos e quais fatores são indispensáveis para garantir essa segurança. Acompanhe!

O que é segurança alimentar? 

Antes de mais nada, é preciso diferenciar dois termos bem parecidos: a segurança alimentar e a segurança dos alimentos.

O primeiro se refere à garantia de que qualquer pessoa tenha acesso físico, econômico e social aos alimentos que necessita, e que eles sejam nutritivos, seguros e disponíveis ao consumo de toda a população — ou seja, que ninguém passe fome de qualquer tipo (leve, moderada ou grave).

O segundo termo (segurança dos alimentos) surgiu por volta da década de 1970 e é assumido por muitos países como compromisso primário. Podemos dizer que se resume a boas práticas de criação, manuseio, armazenamento e venda de produtos de qualquer tipo, incluindo os de proteína animal, como ovos.

É por meio dessas boas práticas que os alimentos chegam aos consumidores e garantem a segurança alimentar de que precisam e que lhes é de direito.

A segurança de alimentos tem como objetivo oferecer alimentos seguros, que além de fornecer os nutrientes necessários, estejam livres de qualquer contaminação capaz de fazer mal às pessoas que os consomem.

O consumo de ovos, nesse sentido, é importante para diminuir a insegurança alimentar. Os ovos podem ser utilizados na alimentação e na produção de receitas doces e salgadas, além de terem uma diversidade significativa de elementos nutritivos.

Além de minerais como fósforo e selênio, e vitaminas A, D, E, K e do complexo B, os ovos contam com inúmeras substâncias boas para a saúde. A colina, por exemplo, é ótima para o cérebro e a preservação da memória, e a albumina fomenta os músculos e concede saciedade.

Aliás, colina e DHA (presente no ômega 3) são importantes para o desenvolvimento cerebral do bebê durante a gestação e melhoram o desenvolvimento do raciocínio lógico das crianças em fase escolar. 

Os ovos são nutritivos, acessíveis, versáteis e possibilitam diversos benefícios à saúde, mas por serem mais perecíveis que outros alimentos, requerem cuidados redobrados quanto ao armazenamento, ao transporte e à produção.

Esse motivo faz com que o cuidado e a atenção durante todo o trajeto até o cliente final — desde a criação das aves poedeiras até a venda no mercado — sejam tão importantes.

A seguir, falamos mais sobre tudo isso. Continue a leitura para saber o que os órgãos especiais dizem sobre a segurança dos alimentos desse tipo.

O que os órgãos especiais falam sobre segurança alimentar?

Faremos uma contextualização geral para que você entenda a importância da segurança alimentar. Você sabia que, no Brasil, a segurança alimentar da população é um direito social fundamental garantido por meio da Emenda Constitucional 64/2010

Para atingir esse objetivo, as boas práticas são fundamentais para a segurança alimentar da população, pois é por meio delas que os alimentos podem ser fornecidos de forma eficiente e adequada aos indivíduos.

Por aqui, também temos a Lei Nº11.346, que, para assegurar o direito humano à alimentação, cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN) em 2006.

Com base nisso, temos algumas diretrizes para assegurar uma alimentação segura e eficaz de uma forma ampla, incluindo vários tipos de produtos. Neste artigo, nos concentramos nos aspectos relacionados à produção, à distribuição e ao consumo de ovos, ok? Vamos lá!

Primeiramente, temos o Ministério da Agricultura, Agropecuária e Abastecimento (MAPA) que estabelece normas gerais para a inspeção de ovos e derivados. A pasta normatiza desde as instalações onde as aves são mantidas até a higienização das unidades, classificação e utilização da ovoscopia para análise de cada unidade.

Além disso, o MAPA institui a verificação das condições de higiene e integridade da embalagem como um dos elementos a serem inspecionados nos programas de controle.

Os órgãos especiais instituem, por meio de suas legislações, que todos os ovos disponibilizados para consumo devem conter a data de validade na embalagem.

Para serem considerados próprios para consumo, esses produtos não devem exceder o prazo de validade e estarem em boas condições, isto é, não apresentarem rachaduras ou qualquer anormalidade que possa comprometer sua integridade.

A fiscalização da segurança dos alimentos — incluindo os ovos destinados ao consumo — envolve vários órgãos, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que tem como objetivo “promover a proteção da saúde da população, por intermédio do controle sanitário da produção e consumo de produtos e serviços submetidos à vigilância sanitária”.

A legislação e o controle da produção avícola são bem complexos e extensos. É por meio dessas normas e procedimentos que os melhores produtores de ovos norteiam seus negócios, para disponibilizar produtos seguros e saudáveis aos consumidores finais.

Que fatores garantem a segurança dos ovos?

Para fornecer uma alimentação saudável às pessoas, é preciso não somente garantir a segurança alimentar da população, mas também implementar boas práticas de segurança de alimentos.

Um fator de preocupação envolve as Doenças Transmitidas por Alimentos (DTAs) que, se não forem consideradas, podem ocasionar problemas de saúde pública — além, é claro, de serem um grande desafio para a garantia da segurança alimentar da população.

Esse é o motivo pelo qual a preocupação com a segurança dos alimentos deve ser sempre um fator decisivo na escolha dos produtos, principalmente por parte dos produtores. Entre as boas práticas que devem ser seguidas, estão:

  • as Boas Práticas Agrícolas (BPA);
  • as Boas Práticas de Produção (BPP);
  • as Boas Práticas de Higiene (BPH);
  • as Boas Práticas de Fabricação (BPF);
  • as Boas Práticas de Manipulação (BPM).

Juntas, elas garantem um Sistema de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle eficaz e seguro. A seguir, confira alguns fatores que ajudam a garantir a segurança dos ovos.

Manejo

O ideal é que os ovos sejam coletados após a postura para evitar que eles quebrem, trinquem ou fiquem sujos. As aves precisam estar em boas condições de saúde, o que inclui, além da vacinação em dia, espaço, segurança, higiene, alimentação, infraestrutura e boas condições de vida.

As aves doentes precisam ser separadas, tratadas e acompanhadas por profissionais especializados.

Processamento

Os ovos precisam passar por um rigoroso processamento após a coleta, o que inclui a ovoscopia, etapa onde são retirados ovos com manchas internas.

Além disso, são retiradas todas as unidades que se encontrem trincadas, quebradas ou bicadas — fatores que diminuem a proteção natural do ovo e podem comprometer a saúde dos usuários. Também são realizadas análises microbiológicas para analisar a existência da bactéria Salmonella, causadora de intoxicação alimentar.

Padrões de nutrição

Sabemos o quanto os ovos são versáteis e multifuncionais, pois além de serem uma ótima fonte de proteína, proporcionam diversos benefícios à saúde. A qualidade e a preservação das características desse produto devem considerar diversos fatores, para que possam proporcionar segurança alimentar à população.

Isso inclui não só um controle de qualidade rigoroso por parte do avicultor, como cuidados e atenção do consumidor na hora de comprar ovos e consumir tais produtos. Algumas ações recomendadas são:

  • conservar os ovos na parte interna da geladeira, e não na porta — devido à maior oscilação de temperatura;
  • prestar atenção na data de validade presente na embalagem;
  • não lavar os ovos, pois isso pode danificar a camada protetora do ovo e favorecer a entrada de bactérias em seu interior. Caso seja lavado, o ideal é lavá-los logo antes da utilização.
  • nunca consumir alimentos como ovos e aves crus ou sem estarem totalmente cozidos.

Um mito bem comum compartilhado pelos consumidores é o da cor do ovo. Você sabia que ela não interfere no valor nutricional do produto? A cor da casca — se branca ou marrom — ou se a gema é mais alaranjada ou não são aspectos mais ligados à raça e à alimentação da ave do que qualquer outra coisa.

É claro que colorações anormais podem indicar que o ovo não está fresco, mas você vai perceber essa situação pelo cheiro, por exemplo. Nesse caso, não consuma o ovo.

Para consumir ovos de boa procedência e qualidade, é importante contar com produtores qualificados e de boa reputação no mercado, como a Ovos Mantiqueira.

Além de ter selo de certificação de produto orgânico do IBD e o de Bem-Estar Animal da Certified Humane Brasil, a Ovos Mantiqueira investe em infraestrutura e tecnologia para garantir altos níveis de segurança de alimentos.

Neste artigo, você descobriu o que é segurança alimentar e segurança de alimentos. Também esclarecemos a importância desses dois termos para o bem-estar e a saúde da população, o que os órgãos dizem a respeito e quais fatores garantem a segurança dos ovos.

Agora que você já sabe a importância do assunto, que tal contar sempre com alimentos fresquinhos e seguros? Saiba um pouco mais sobre o serviço de ovos por assinatura Mantiqueira. É uma ótima opção para o consumo próprio ou para o seu negócio!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.