alergia a ovo

Alergia ao ovo: o que é, quais as causas e como substituir na alimentação?

A alergia ao ovo é a segunda maior1 causa de alergias na infância, ficando atrás somente da APLV (Alergia à Proteína do Leite de Vaca). A principal causa é a predisposição genética.

Essa condição é mais comum do que se pode imaginar. Estima-se2 que cerca de 2,5% das crianças apresentam alergia a ovo. A boa notícia é que o problema desaparece até a adolescência em mais da metade dos casos. Enquanto isso não acontece, é importante tomar os cuidados com a alimentação do portador da alergia.

Se interessou pelo assunto? Então, continue a leitura, pois, neste post, trazemos tudo o que você precisa saber sobre a doença e mais: como substituir os ovos na alimentação nesse caso. Vamos lá?

O que é a alergia ao ovo?

A alergia ao ovo é uma resposta do sistema imunológico às proteínas do ovo. A defesa do organismo identifica essas proteínas como um corpo estranho, o que desencadeia a reação alérgica. Ela acontece após a ingestão ou contato com ovo pelas pessoas que desenvolveram anticorpos específicos para essas proteínas.

Isso ocorre somente em quem é alérgico e se repete sempre que há consumo ou, até mesmo, contato da pele com ovo. Geralmente, a alergia ao ovo começa ainda nos primeiros anos de vida, mas tem um bom prognóstico, desaparecendo em alguns anos, sem que haja necessidade de tratamento, somente restrição alimentar.

Vale diferenciar a alergia ao ovo de outros problemas que podem acontecer, como intolerância e intoxicação alimentar.

Intolerância

A intolerância ao ovo é quando o organismo não recebe muito bem o ovo, reagindo com sintomas gastrointestinais, mas sem gravidade.

Intoxicação alimentar

Já a intoxicação alimentar é causada pela salmonella, uma bactéria ligada ao consumo de ovos crus. Ela também dá reações gastrointestinais, porém, nesse caso, podem ser mais graves. É importante dizer que ovos bem cozidos e de boa procedência/marca são seguros e não apresentam risco de infecção.

Quais são as causas da alergia ao ovo?

A principal causa de alergia ao ovo é a predisposição genética, ou seja, quando os pais, irmãos ou outro parente próximo apresentam alguma alergia. Além disso, a criança que tem outros tipos de alergia também é uma forte candidata a ter alergia ao ovo.

A alergia é causada quando, em algum momento da vida, a criança teve contato com as proteínas do ovo, o que fez os anticorpos se ativarem e reagirem após o consumo do alimento. Inclusive, o pequeno, ou o bebê, pode ter contato com o ovo antes mesmo de consumi-lo pela primeira vez, como durante a amamentação ou por meio de contato cutâneo.

Quais são os sinais e sintomas da alergia ao ovo?

É comum que os sintomas apareçam pouco tempo depois do consumo de ovos. Entretanto, em alguns casos, pode demorar horas para que a reação alérgica aconteça, o que torna mais difícil identificar a alergia. A seguir, confira os sinais da doença quando uma pessoa alérgica consome ovo:

●       coceira e vermelhidão na pele;

●       coriza;

●       dificuldade para respirar;

●       tosse seca;

●       chiado ao respirar;

●       dor no estômago;

●       náuseas e vômitos.

Como é feito o diagnóstico da alergia ao ovo?

Quando a pessoa apresenta os sintomas após a ingestão de ovo ou de alimentos que levam ovo na preparação, já é um sinal de alergia ao alimento. Considerando esse histórico, o médico prescreverá alguns exames de laboratório ou testes cutâneos que confirmem a alergia às proteínas do ovo.

Há também a possibilidade de fazer um teste de provocação. Nele, a pessoa com suspeita de alergia come um pedaço de ovo, em um centro hospitalar, para que o médico consiga analisar a ocorrência dos sintomas.

Como é feito o tratamento da alergia ao ovo?

A alergia a ovo costuma desaparecer com o tempo, sem qualquer tipo de tratamento específico; sendo suficiente a restrição alimentar. Ou seja, apenas excluindo os ovos da alimentação. Além de não consumir preparos que contêm ovo, como omeletes, saladas de ovos, pudins e quindins, é necessário observar os rótulos dos alimentos.

Isso porque vários produtos contêm ovos, mesmo que não apareçam como ingrediente principal. Na indústria, também é comum ocorrer a contaminação cruzada. Por conta da legislação, os fabricantes devem colocar a informação para os alérgicos. Geralmente, esse dado fica perto da composição nutricional ou abaixo da lista de ingredientes e apresenta “Alérgicos: contém ovos”.

Além disso, há uma vasta lista de receitas que, tradicionalmente levam ovos. Sendo assim, caso você tenha alergia ao ovo, não consuma esses alimentos, a não ser que substitua pelo N.OVO, opção plant based à base de ervilha e linhaça dourada. Exemplos:

●       bolos;

●       biscoitos;

●       pães;

●       empanados;

●       maionese;

●       molhos cremosos;

●       sobremesas.

Como manter uma alimentação sem ovos?

O ovo é uma ótima fonte de proteínas de alta qualidade, assim como de vitaminas e minerais muito importantes para o bom funcionamento do organismo. Além disso, é muito acessível, tendo um excelente custo-benefício e, consequentemente, sendo muito consumido.

Nas receitas, ele emulsiona os ingredientes dando liga às massas e a outros preparos. Apesar de todas as vantagens dos ovos, dá para substituí-lo na alimentação. Da parte nutricional, é importante consumir outras fontes de proteínas, como carnes, frango, peixes, leguminosas, oleaginosas, sementes, leite e derivados.

Nas preparações de bolos, biscoitos e pães, você pode usar o N.OVO. Já ouviu falar nele? É um produto plant based, ou seja, 100% vegetal, que substitui os ovos em receitas de panificação doces e salgadas. Ele é produzido à base de linhaça dourada, amido de ervilha e proteína de ervilha.

Esses ingredientes passam por processos de alta qualidade para proporcionar a perfeita substituição dos ovos in natura nas receitas. Dessa maneira, você obtém os mesmos resultados e pode saborear os seus pratos preferidos, com a mesma textura.

Como vimos neste post, a alergia a ovo é uma condição que surge ainda na infância e é reversível, na maioria, dos caos, até a adolescência. Ela tem como principal causa a predisposição genética e seu tratamento se resume apenas na exclusão dos ovos da alimentação.

Se você tem alergia ao ovo, não precisa ficar triste pensando que não poderá mais comer bolos, tortas e salgados deliciosos. Uma ótima alternativa que cumpre o papel do ovo em receitas é o N.OVO!

Quer saber mais sobre esse produto? Acesse o nosso Instagram para conhecer melhor o produto e tirar suas dúvidas.

Referência

1Eggesbo M, et al. The prevalence of allergy to egg: a population-based study in young children. Allergy. 2001;56(5):403-11

2.Rona RJ, et al. The prevalence of food allergy: a meta-analysis. J Allergy Clin Immunol. 2007;120(3):638-46

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.